25 de jan de 2009

Computador novo? Que tal GNU/Linux!


Muitas pessoas tem me procurado à fim de aconselhamento sobre a compra de um computador novo, notebook ou desktop. Felizmente, tem sido bastante este tipo de conversa com os interessados e isso me deixa com uma pontinha de orgulho, pois é sinal que alguma influência e confiança é notada nestes relacionamentos. Todos de meu ciclo de relacionamento sabem que uso e defendo a Filosofia do Software Livre e que minhas máquinas são movidas à GNU/Debian.
O motivo desta postagem não técnica e sim filosófica vem quando estou vendo uma notícia que reflete justamente o que tenho pregado para estas pessoas ditas diretamente por Maddog:

"Todo software deve ser livre, ao menos que haja uma razão especial para que isso não aconteça. Você não pode ser escravo de um programa. Ele não pode te dizer o que fazer, como e quando - salientou Maddog."
"Maddog mostrou o crescimento do uso do Linux a partir de 1998, especialmente por grandes empresas, como a IBM. Segundo ele, 80% dos supercomputadores do mundo utilizam Linux, e o principal desafio da empresa é continuar aumentando o número de usuários comuns. E esse, na sua opinião, é o valor de um evento como a Campus Party, levar o Linux a mais pessoas, pois muitos nunca sequer o viram."
Fonte e notícia completa em:O Globo acessado em 24/01/2009.

Então, quando falo com as pessoas interessadas em computadores, saliento naturalmente vantagens entre uma máquina e outra, faixa de valores a ser pesquisado, fabricantes, diferenças entre arquiteturas etc. E um ponto importante é o Sistema Operacional. Falo sobre as deficiencias no software proprietário com sua falta de segurança e aprisionamento tecnológico e na outra ponta, mostro sobre o GNU/Linux como uma quebra de paradigmas e um aprendizado que leva a igualdade para todas as pessoas enquanto cidadãos formadores da sociedade em que vivemos. Então, mostro ainda a questão do preço dos equipametos já que com Linux os preços praticados são bem menores e ainda, em virtude disso, até os preços de máquinas com SO proprietários também tem seus custos reduzidos. Finalizando, mesmo que o interessado opte por qualquer sistema operacional, me coloco a disposição voluntáriamente para uma instalação de GNU/Debian igual à que uso em minha máquina.